Da Presilha à Ilhapa
Ritmo: Chamarrita
Letra: Giuliano de Andrade e Luis de Bragas
Música: Jean Melere e Thales Wottrich.

Os tentos “lonqueado” à faca
Que solitos não dão conta
Mas que aguentam o tirão
Por se juntar ponta à ponta
Couro de boi, mão de homem
E um ofício primitivo
Um não sabe a dor do outro
Mas reconhecem o motivo

É a vida num mesmo tento
Que vai na argola e dá volta
O laço só tem destino
Depois que da mão se solta
O laço só tem destino
Depois que da mão se solta
É a vida num mesmo tento
Que vai… na argola e dá volta

Desde a presilha até a ilhapa
A trança tem lida certa
Carnear ou curar bicheira
Depende onde a armada aperta
A argola por infinita
Traz a ilhapa agarrada
Numa ilusão de mais vida
Junto ao tempo apresilhada

É a vida num mesmo tento
Que vai na argola e dá volta
O laço só tem destino
Depois que da mão se solta
O laço só tem destino
Depois que da mão se solta
É a vida num mesmo tento
Que vai… na argola e dá volta

A armada é tempo, é distância,
É a alma do laçador.
História de vida inscrita,
Nas marcas do tirador

É a vida num mesmo tento…
Que vai na argola e dá volta
O laço só tem destino
Depois que da mão se solta

Presilha…. ilhapa… argola… é a lida
É o tempo… destino… é a armada da vida

O laço só tem destino
Depois que da mão se solta
É a vida num mesmo tento
Que vai… na argola e dá volta

Marca defendida no Invernia da Arte Gaúcha 2018 nos dias 13, 14 e 15 de Julho na cidade de Camboriú/SC. A captação e mixagem de áudio foi feita por Jean Melere e as imagens foram feitas na sede da Associação Artística Sentimento e Tradição de Blumenau/SC.

Assista ao clipe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.