O pala de seda é uma peça muito importante pro gaúcho, quem tem um cuida com muito zelo e carinho. A gente pode ver a utilização dessa peça a partir dos anos 1800.

Tecnicamente, podemos dizer que esses palas são peças retangulares, podem ser com as pontas retas ou arredondadas, com detalhes de franja nas bordas do pala e não tem gola.

No livro Indumentária Gaúcha, dos Bailes Antigos aos Tablados, do Giovani Primieri, tem uma uma nota do Conde D’Eu, famoso monarca brasileiro, marido da princesa Isabel, onde ele fala sobre o pala de seda no Rio Grande do Sul, isso em 1865.

“Augusto aparece com um poncho de verão, branco com risquinhas azul-celeste. Fica definido este trajo pelo seu nome: quando começa a fazer muito calor para que se possa continuar a suar o poncho de lã, o gaucho elegante substiui-o por outro, feito de uma fazenda leve de algodão e seda. Há os inteiramente brancos, e outros amarelos; mas a maior parte têm listras, sempre de cores claras e vivas. São muito pitorescos quando entram a flutuar à mercê do vento sobre o cavalo a galope, com os arreios muito enfeitados de prata; mas parecem-me ter pouca utilidade de prática para viagem”

Repare que interessante esse relato, que já traz desde essa época as características do pala de seda ou pala de verão, ser feito de um tecido leve, ir sobre as pilchas e ainda há o detalhes de ter as listras.

Vale lembrar que eu já fiz um vídeo falando das pilchas pro frio, palas, ponchos e bicharás. Pode assistir clicando aqui.

Então afinal, qual a serventia de um pala de seda?

A principal funcionalidade é para proteger as roupas do peão da poeira e do Sol quando se está em trânsito. Por ele ser feito de um tecido leve como a seda, algodão, lã fina e geralmente de cores claras, ajudava a refrescar o vivente nas viagens a cavalo.

Também poderia ser utilizado nas peleias como proteção, tal qual os lenços de seda. Na esgrima crioula.

Vale lembrar que os palas que a gente encontra hoje, a maioria são de seda misturado com materiais sintéticos, como o poliéster por exemplo.

Então tu pense numa cena de campanha, o gaúcho vem a cavalo, no verão usando seu pala de seda. Apeia no bolicho, tira o seu pala, dobra ele e segura no antebraço ou coloca sobre o ombro.

Caso o peão fosse dançar, aí teria que amarrar ele na cintura ou a meia espalda. Aí pode ser prendido com um lenço de bolso ou até um tento de couro.

A maioria dessas informações eu retirei do excelente livro Indumentária Gaúcha, dos bailes antigos aos tablados, do autor e amigo Giovani Primieri. Se tu quiser adquirir, é só clicar aqui. Te garanto que vale a pena!

No livro, tem mais algumas informações sobre o pala e também sobre os usos para invernadas e grupos de dança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.